Skip to content

Review de The Golden Lily – Bloodlines

01/09/2013

The Golden Lily

Aqui vai a minha review do The Golden Lily (Bloodlines 2) que, depois de muito tempo e de criar vergonha na cara, eu resolvi ler. Eu achei o livro não tão empolgante com relação à ação, não sei dizer, o achei meio fraquinho em relação a isso. Claro, talvez seja o costume de ter a Rose como protagonista e ela estar sempre metida em situações onde precisa agir rápido e com eficiência. É comum, em função de toda a série que precedeu esse spin off, esperar que a Sydney vá ter um comportamento semelhante, mas é sabido e inegável que ela não se compara com nossa Dhampir preferida! De qualquer maneira, a meu ver, dentro das limitações da personagem a Sydney protagonizou uma boa historia.

spoiler-alert

Acho que não se pode deixar de salientar o quanto foi interessante o enredo dela com o Adrian. Cada vez que aparecia uma cena deles dois eu me encantava, ou melhor, aí sim eu começava a ficar super empolgada, querendo saber onde a coisa ia acabar. Sinceramente acho que os dois se merecem e espero que esse romance possa se desenrolar agora no próximo livro.

Também foi muito bom matar saudades de antigos personagens como o Dimitri, o Eddie e até a Jill. Sobre esses personagens gostaria de colocar algumas opiniões a serem discutidas. O Dimitri sempre será nosso Deus russo, haja o que houver e isso é lei! Mas não consigo me desligar da ideia de que é a Rose que nos faz sentir o quão grandioso ele pode ser (talvez porque ele só consiga ser aquele Dimitri por quem nos apaixonamos quando ele está perto da Rose). O que quero dizer é que nesse Spin-off o Dimitri aparece mais como um herói pra salvar todo mundo do que qualquer outra coisa e isso é estranho. Entendo que nem caberia coloca-lo num pedestal nessa série, já que ele não é o foco da mesma, mas vê-lo tão sem brilho chega a me causar um desconforto.

O Eddie é um guri que eu cada vez mais quero conhecer porque apesar de simples e agradável, marca presença. Ele realiza sua função como guardião com excelência, tem senso de humor e consegue se relacionar muito facilmente com praticamente qualquer outro personagem.

A Jill está crescendo no meu conceito, está mais madura e consciente da importância do seu papel de membro da realeza. No entanto, que vontade de mergulhá-la numa bacia de salmoura e deixa-la de molho pra o tempero pegar de verdade!

Já na Sydney, quem diria, o tempero pegou! Não existem palavras que definam o prazer que tive de vê-la titubear nas próprias convicções. Descobrir que o que se tem por verdade não é tão verdadeiro assim é complicado e as ações dela mostram bem o quanto. Porém a maneira como Sydney se mostra aberta a considerar essa nova realidade é de emocionar o leitor, assim como vê-la baixar as resistências e permitir que seus sentimentos sejam manifestados.

Eu só gostaria de fazer um comentário negativo e que pra variar tem a ver com o final do livro. Que diabos foi aquilo?? De certa forma posso dizer que odiei o final porque, poxa, o Adrian já terminou o Last Sacrifice com o coração ferido por causa da Rose e agora que ele se apaixona de novo, a Sydney vai lá, deixa o guri se declarar e dá aquele fora no coitado? Ele parece ser um capacho dessas gurias! Todo mundo pisa em cima dele!

Pra dizer a verdade, não é que eu não tenha gostado do final do The Golden Lily, mas é uma agonia ver a história terminar quando um personagem querido está tendo o coração esmigalhado e não saber o que vai acontecer no próximo livro! Tipo, chega! O Adrian já não sofreu demais nessas histórias? Eu até admiro a persistência do guri, tanto com a Rose quanto com a alquimista em questão, porque não é fácil se declarar do jeito que ele fez para a Sydney depois da puxada de tapete que ele tomou da Rose. E ainda assim ele deu a cara à tapa e apostou todas as fichas ao dizer o que sentia. Infelizmente por enquanto não deu certo, mas eu tenho fé de que a coisa vai melhorar para o lado do nosso amado Moroi. Depois de tudo que ele aprontou na vida, talvez tenha que fazer por merecer, não é mesmo? Realmente espero que tanto sofrimento e rejeição sejam recompensados e que ele possa desfrutar de momentos mais felizes no futuro.

spoiler-off

Enfim, acho que pelo fato de eu ter lido o livro em três dias, e não ter conseguido parar de ler um segundo, significou que apesar das minhas críticas eu gostei bastante do The Golden Lily. Não é o melhor, com certeza, mas por fazer parte de Vampire Academy, vale a pena ler o livro. A Richelle Mead é uma ótima escritora e como não poderia ser diferente conseguiu me deixar com gostinho de quero mais, então que venha o The Indigo Spell! Estou curiosa para saber de que mais mistérios e surpresas  são capazes de guardar esses ainda instigantes alquimistas.

Quem já leu o livro tem alguma coisa a comentar ou algo a discutir? Basta deixar um comentário😉

One Comment leave one →
  1. 01/12/2013 1:53 AM

    Concordo que os livros da Richelle sempre deixaram o gostinho de quero mais…
    mais do Dimka e Roza!!
    Lissa e Christian!
    Meuuu deus! Bem que ela poderia fazer uma surprezinha e nos dá tipo assim; O que está acontecendo na corte com Lissa agora rainha???
    Sou viciada nesta série e não nego!
    Também acho que a Sidney seja uma protagonista meio parada (sem o brilho Rosedeser…) mas, só por estar matando a saudade dos personagens já amenisa um pouco as coisas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: