Skip to content

Review de Bloodlines!

10/28/2011

Bloodlines ao mesmo tempo tem e não tem tudo a ver com Vampire Academy, o que a caracteriza perfeitamente como um spin-off. Trata-se de uma leitura light, mas não no sentido de ser ruim. É light porque o enredo é relativamente simples e ainda assim prende a atenção de quem o lê. Devido à história ser sob o ponto de vista da Sydney, temos uma visão mais humana de tudo que está acontecendo, o que é diferente do que tivemos nos livros de VA até agora e o que torna a série, no mínimo, interessante.

Descrição

Bloodlines

Blood doesn’t lie

Sydney is an alchemist, one of a group of humans who dabble in magic and serve to bridge the worlds of human and vampires. They protect vampire secrets – and human lives. When Sydney is torn from her bed in the middle of the night, at first she thinks she’s still being punished for her complicated alliance with dhampir Rose Hathaway. But what unfolds is far worse. Jill Dragomir – the sister of Moroi Queen Lissa Dragomir – is in mortal danger, and the Moroi must send her into hiding.

To avoid a civil war, Sydney is called upon to act as Jill’s guardian and protector, posing as her roommate in the last place anyone would think to look for vampire royalty – a human boarding school in Palm Springs, California. But instead of finding safety at Amberwood Prep, Sydney discovers the drama is only just beginning.

Bloodlines explores all the friendship, romance, battles, and betrayals that made the #1 New York Times bestselling Vampire Academy series so addictive – this time in a part-vampire, part-human setting where the stakes are even higher and everyone’s out for blood.

Tradução livre:

Bloodlines

O Sangue não mente

Sydney é uma alquimista, de um grupo de humanos que se envolvem com mágica e servem de ponte entre o mundo dos humanos e vampiros. Eles protegem os segredos dos vampiros – e vidas humanas. Quando Sydney é arrancada de sua cama no meio da noite, primeiro ela pensa que ainda está sendo punida por sua complicada aliança com a dhampir Rose Hathaway. Mas o que se desenrola é muito pior. Jill Dragomir – a irmã da Rainha Moroi Lissa Dragomir – está em perigo mortal, e os Moroi devem enviá-la para um esconderijo.

 Para evitar uma guerra civil, Sydney é chamada para agir como guardiã e protetora de Jill, colocando-a como sua companheira de quarto no último lugar que alguém pensaria em procurar pela realeza dos vampiros – uma escola humana em Palm Springs, Califórnia. Mas, em vez de encontrar segurança em Amberwood  Prep, Sydney descobre que o drama está apenas começando.

Bloodlines explora toda a amizade, romance, batalhas e traições que fizeram a série bestselling # 1 do New York Times – Vampire  Academy tão viciante – desta vez  em um cenário parte-vampiro, parte-humano, onde os riscos são ainda maiores e todos estão em busca de sangue.

Para comprar o livro clique aqui.

A proximidade com a nossa realidade é tanta que eu me senti voltando à adolescência com as situações que a Sydney, a Jill e o Eddie vivenciaram na escola. Os grupinhos, as fofocas, o medo de aparecer demais ou de menos. Nesse sentido acho que o livro cumpriu com a missão de transportar o leitor para uma realidade bem diferente de St. Vladimir.

Além disso, a Sydney é uma personagem cativante que por mais que relute em admitir, é uma “vamp lover”, sim! É muito engraçado, no começo da história, o nervosismo dela por estar perto de vampiros. Depois de um tempo, porém, acho que ela esquece completamente disso, pois a interação dela com o Adrian, a Jill e os demais passa a ser quase natural. Sydney tem um jeito meio ingênuo, no que diz respeito a relações interpessoais, misturado com o ar de “cdf”, que faz dela um ser único! Não da pra esquecer a parte que ela diz não conseguir parar de erguer o braço para responder às perguntas que ela sabia a resposta. Ou quando ela aplica seus conhecimentos de física para jogar mini-golf e arrasa com todos os seus oponentes, mesmo jogando pela primeira vez! E parte em que o Bryan, um dos amigos do Slade, convida ela pra sair e ela nem percebe até que a Kristin a avisa com todas as palavras, então?! É hilária!

Além de Sydney nos conquistar com facilidade, é através dela que podemos conhecer melhor a instituição alquimista, entender como ela funciona, que tipos de coisas os alquimistas estudam e como eles põem em prática o que aprendem, o que é fundamental para termos uma visão mais completa do papel desses humanos “especiais”. Além disso, podemos entender melhor a relação dos humanos com vampiros, pois vamos combinar, em vampire academy os vampiros e humanos vivem quase lado a lado e até agora pouco havia se falado na relação entre eles. Inclusive, falando nisso, os humanos estão mais cientes da existência de vampiros do que os Morois pensam, né? Pelo menos foi a impressão que tive.

Bom, depois de um panorama mais geral existem algumas pontuações que me sinto obrigada a fazer, a começar pelo nosso garoto-polêmica, Adrian. Eu já vi alguns comentários de pessoas que, por conta do que aconteceu em Bloodlines, acabaram relevando o surto que o Adrian teve quando a Rose terminou com ele; como se “perdoassem” aquele deslize por conta do destino que foi dado a ele agora. Eu até concordo que o destino dado a Adrian em Bloodlines não poderia ser melhor. Primeiro porque ele voltou a ser o que sempre foi, ou seja, um garoto debochado, galante, egocêntrico, que vive pisando na bola, mas ao mesmo tempo dono de um grande coração. E depois, porque ele finalmente se achou na vida, vai fazer algo de útil e aprender a se virar sozinho (sem falar que rolou o maior clima dele com a Sydney). No entanto, nada disso apaga da minha memória aquela cena dele com a Rose em Last Sacrifice, nem diminui a estranheza que ela me causou, pois continuo achando que mesmo ferido o Adrian não seria tão cruel com suas palavras como foi. Mas até aí é questão de opinião. Ainda assim, eu adoro o Adrian e fico feliz de ver que ele começou a dar os primeiros passos em direção à superação do trauma que sofreu (e do qual me causou com aquela inesperada reação).

Agora, eu não sei se engoli muito essa história de ligação entre ele e a Jill. Pode ser que eu esteja errada, mas que eu saiba o Adrian não tinha toda essa “destreza” para curar pessoas como a Lissa, muito menos para trazer alguém que morreu de volta à vida! Pra ser sincera, desde que a Jill começou a mostrar que sabia o que tava acontecendo com o Adrian, eu desconfiei que pudesse haver uma ligação entre eles, mas não imaginei que fosse possível exatamente por esse pequeno detalhe que comentei. No entanto, quando vi que minha desconfiança estava certa, fiquei sem entender isso direito. Parece que foi apenas uma saída conveniente para explicar o motivo de Adrian estar junto com o resto da turma nessa missão de esconder a Jill, que só pra oficializar, bem ou mal, morreu né?! O que tá acontecendo com esses Morois? Fico imaginando o pandemônio que deve estar na corte, com todos desconfiando de todos e a Rose no modo guardiã histérica totalmente ligado para prevenir que algo aconteça à Lissa.

E já que falei em Jill, preciso dizer, eu não morri de encantos por ela, o que não significa que eu a odeie. Eu sempre achei a Jill meio sem sal, mas imaginava que conhecendo-a melhor ela ganharia minha simpatia. Não foi bem assim que aconteceu. Além de ser destemperada, os comportamentos da Jill me pareceram meio bobinhos e sem propósito (apesar de que eu também não posso exigir muito de alguém que está no auge da adolescência vivendo todos os conflitos possíveis e impossíveis dessa fase turbulenta). Quem sabe mais adiante eu pegue gosto pela menina…

Mas chega de comentários negativos. Vamos voltar ao que o livro tem de bom a oferecer, como por exemplo, boas surpresas!

Eu realmente fiquei surpresa quando o Lee revelou ter sido um Strigoi que foi “acordado” contra sua vontade e estava matando quem ele julgasse ser a pessoa certa para voltar a ser imortal. Eu sentia que tinha algo de estranho com ele, mas não imaginava nada perto disso! Quem será que o trouxe de volta? Eu não lembro o que foi feito do Robert, irmão do Victor Dashkov, mas ele foi a primeira pessoa que me passou pela cabeça na hora, até mesmo porque o conhecimento necessário para se fazer isso não é algo que qualquer pessoa possua. Enfim, talvez seja um mistério sem solução, porque eu não sei se isso será trazido à tona em Golden Lilly. É aguardar para ver.

Outra coisa que me deixou de boca aberta foi a suposição de que Abe estaria envolvido no tráfico ilegal de sangue de vampiros! E como ele nem se importou em negar a acusação, ficam as dúvidas: será verdade mesmo? E até onde Abe vãos os escrúpulos de Abe Mazur?

Bom, essa última pergunta pode ser parcialmente respondida se levarmos em consideração o trato que ele tinha com a Sydney, certo? Afinal, simular um ataque de Strigoi e arrancar o olho de alguém não é pra qualquer um. O Homem não brinca em serviço e essa é uma das coisas que eu mais gosto no Abe, além da inconstância de seu comportamento. Se você esperar algo bom dele, ele te decepciona e se você esperar o pior, pode ter certeza que ele vai te surpreender, pois o pior dele vai muito além do que podemos imaginar. O cara é foda, não adianta!

Agora vamos ao que interessa, a última frase do livro. A frase que anuncia a chegada de Dimitri Belikov e decreta o fim da paz de espírito de Adrian e certamente de todos os leitores que, assim como eu, devem ter surtado ao lê-la. Eu não sei o que esperar, pois tenho medo de que a presença de Dimitri faça o Adrian voltar a ser o que ele não é e eu não queria isso, se bem que com a Sydney por perto as chances de isso acontecer são menores. Ao mesmo tempo queria ver como seria uma conversa bem franca entre os dois (e não me espantaria se até o Adrian acabasse gostando do Dimitri depois disso ahahaha). O fato é que se Dimitri vai virar o ratinho de pesquisa dos alquimistas, quem assumiu o posto de guardião de Christian? E será mesmo que ele vai ficar para ajudar nas pesquisas? Isso foi o que a Sydney pensou, mas ele pode ter vindo apenas para acompanhar o grupo todo, não?

Como tudo que envolve Dimitri, há muitas perguntas, poucas respostas e muita expectativa. Mas tenhamos um pouco de fé, pois pelo que tudo indica, meus caros, nosso Belikov dará as caras mais uma vez!

Eu realmente gostei do livro. Sair da cabeça da Rose e ver o mundo sob outra perspectiva foi melhor do que eu esperava. O enredo nos leva a um novo mundo, com novos personagens (alguns nem tanto) que conseguem dar conta do recado no que diz respeito a prender a atenção do leitor. Não que eu esperasse o contrário. Acho que por saber da ligação da série com a trama-mãe Vampire Academy, li Bloodlines com aquela segurança de que as chances de me decepcionar eram poucas. Realmente não me decepcionei e recomendo o livro a todos que já terminaram VA.

Começa agora mais um período de espera. Que venha o The Golden Lilly!


3 Comentários leave one →
  1. Nicole permalink
    11/04/2011 8:18 AM

    Haa Belikov……………..axo q nao necessita mts comentarios! rrss

  2. Elida Nathalia permalink
    01/08/2012 6:58 PM

    O livro foi pra mim quase que perfeito. Gostaria de pontuar umas coisas e gostaria de saber sua opinião.
    1- O surto de Adriam no fim de L.S. pode ter sido devido ao espirito.
    2- Tirando uma duvida, não fazia cerca de 5 anos que Lee tinha sido transformado de volta em moroi? Se foi assim descarta a possibilidade de ter sido Robert pós L.S.
    3- Vale lembrar da professora maluca de Sidney e o fato de que ela tenta leva-la a fazer magia como o amuleto de fogo que foi tão útil em bloodlines.

    Mas uma coisa é certa: ansiedade total parta que o dia 19 de junho chegue logo e tenho certeza que Richele vai nos surpreender, como sempre.

  3. .:Little.Crazy.Dhampir:. permalink
    01/08/2012 7:32 PM

    1. Elida, suas duas primeiras pontuações são válidas, apesar de que mesmo que a reação do Adrian em LS tenha sido um efeito do espírito eu não gostei do rumo que as coisas tomaram quanto a isso. Ele pode ter reagido de forma explosiva, mas mesmo depois ele continuava tendo um comportamento arredio com a Rose e foi isso que não me agradou.
    2. Quanto ao Robert, eu só comentei que ele poderia ser suspeito por ser uma das poucas pessoas que sabiam como trazer um Strigoi de volta a vida e o único mencionado até então a ter feito isso. Eu não cheguei a fazer nenhuma cronologia pra saber se os tempos fecham ou não. Ele pode até não ter feito isso pós last sacrifice, mas ter feito isso exatamente há cinco anos atrás, não?
    3. O que exatamente você quis salientar com menção da professora da sidney?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: