Skip to content

Review Dead Reckoning – SVM

06/25/2011

Dos últimos, esse é meu livro preferido.  Eu gostei dele muito mais do que o Dead in the Family, Dead and Gone, etc.  Eu acho que é porque ele parece com os primeiros livros da série.  Eu não sei dizer exatamente porque eu relacionei o Dead Reckoning com os primeiros, mas ele me pareceu mais relaxado, menos tenso, e com problemas menos absurdos.  É claro que de três, dois são sobrenaturais, mas pelo menos um é pessoal.

O que sempre me atraiu nos livros da Charlaine é que ela mistura a quantidade certa de vida cotidiana, como arrumar a casa ou ajudar seu chefe, com a parte sobrenatural, como conspirar contra algum vilão e lidar com os vários seres que aparecem na vida da heroína.  Se fosse mais de um ou de outro o livro ficaria ou chato demais, ou simplesmente tenso demais. Nós realmente podemos entrar na vida da Sookie e nos colocarmos no lugar dela com as situações que todos passamos, e então extrapolar a realidade com a parte fantástica.

Dessa vez o livro trata basicamente do passado afetando o futuro.  Nós vemos muitas revelações sobre a família da Sookie e a presença da mesma é forte e isto começa a dar forma em como a Sookie vê o seu futuro e o que ela quer da sua vida.  Eu acredito que o passado tem uma enorme influência em nosso futuro e eu enxergo isso na Sookie também.

Outra instância em que vemos o que já foi ressurgir é em relações há alguns “vilões” e situações criadas por “vilões” que já morreram.  Foi ótimo na verdade porque fechou algumas pontas que ficaram abertas nos livros anteriores.  E também me agradou que não surgiram vilões novos.  O mundo já está tão complexo e com tantos personagens que realmente não precisa de mais.  Eu gosto quando as autoras param de criar novos problemas e se concentram nos antigos e os tornam maiores e mais complicados!

Como sempre temos uma janela para aprendermos mais sobre a política vampiresca.  Eu sempre me divirto quando posso ver como o mundo desses seres tão emocionantes funciona para cada autor e a Charlaine é especialista em criar regras complexas e que condizem com o que é esperado dos filhos da noite.

Também podemos ver outros lados de personagens que já conhecemos e amamos e isso é sempre bom.  Eu gostei também de ver um lado mais vulnerável dos vampiros e o outro lado da moeda, o mais calculista e frio dos mais amáveis.  A Sookie também está mais madura e com o enfoque no que realmente importa.  Há uma luta interna na loira em que ela procura manter o máximo da sua humanidade e ao mesmo tempo nós percebemos que há uma razão para isso, que ela não está imaginando.

É claro que nem tudo foi resolvido, ainda temos muitas dúvidas para os próximos livros.  E muitos acontecimentos que eu sei que muita gente vai odiar, eu odiei, mas ao mesmo tempo eu gostei bastante de como acabou.

Para compra o livro clique aqui.

Descrição:

With her knack for being in trouble’s way, Sookie witnesses the firebombing of Merlotte’s, the bar where she works. Since Sam Merlotte is now known to be two-natured, suspicion falls immediately on the anti-shifters in the area. But Sookie suspects otherwise and she and Sam work together to uncover the culprit – and the twisted motive for the attack. But her attention is divided. Though she can’t ‘read’ vampires, Sookie knows her lover Eric Northman and his ‘child’ Pam well – and she realises that they are plotting to kill the vampire who is now their master. Gradually, she is drawn into the plot -which is much more complicated than she knows. Caught up in the politics of the vampire world, Sookie will learn that she is as much of a pawn as any ordinary human – and that there is a new Queen on the board . . .

Tradução livre do We Love True Blood:

Com o seu talento para se meter em problemas, Sookie testemunha um ataque criminoso ao Merlotte’s, o bar no qual trabalha. Agora que a verdadeira natureza de Sam Merlotte é conhecida, a suspeita recai imediatamente sobre os anti-metamorfos da região. Mas Sookie tem outros suspeitos, e trabalha junto com Sam para descobrir o culpado – e o real motivo pelo ataque. Porém, sua atenção está dividida. Apesar de não “ler” vampiros, Sookie conhece muito bem tanto o seu namorado Eric Northman, quanto Pam, a “cria” dele, e percebe que eles estão conspirando para matar o vampiro que agora é seu mestre. Aos poucos, ela é atraída para o plano, que é bem mais complicado do que ela imagina. Metida no meio da política do mundo dos vampiros, Sookie irá descobrir que ela é um peão como qualquer outro ser humano, e que há uma nova Rainha no tabuleiro…

Como sempre o livro começa com algum evento anormal, dessa vez, um coquetel Molotov jogado no Merlotte’s. Mas o que eu achei legal é que nesse ponto da história nós não sabemos quem é o alvo, se é a Sookie mesmo ou o Sam. E essa é uma linha que é trabalhada pelo livro todo, até que finalmente descobrimos a verdade. Como sempre os livros de Southern Vampire Mysteries são uma crítica muito bem pontuada a sociedade que vivemos, principalmente na questão de preconceito.

Eu ainda acho muito estranho a Sookie permitir que o Claude e o Dermot vivam em sua casa. É estranho, porque por mais que eles sejam família, ela nunca conviveu de fato com eles. Talvez mais com o Claude, mas não justifica abrigar os fados (fados?) fairies (melhor!) em sua humilde casa.  Essa história toda das fadas ficarem mais fadas quando convivem com outras fadas é um tanto quanto estranha né? Tudo bem, eu entendo que é mágico, mas mesmo assim eu gostaria de uma explicação mais lógica, não simplesmente que quando juntos os fairies se tornam mais poderosos.  Na minha opinião eles estão fazendo isso também para que a Sookie viva mais.  Eu tenho essa teoria que se as fairies vivem por séculos e séculos a fim, então a Sookie sendo 1/4 fairie também viveria mais do que o normal para um humano.

Um ponto que eu gostei no livro foi a Sookie descobrir mais sobre o seu passado a partir das relíquias amontoadas no sotão da sua avó. Não foi nenhum estranho contando para ela sobre o que aconteceu ou não, foi a sua própria avó, alguém que ela sempre amou e confiou. Adicionou credibilidade a história do Fintan e tudo mais.

O livro foi para resolver assuntos pendentes também, principalmente na parte de inimigos, já que nenhum deles eram novos inimigos e sim os do passado que ficaram mal resolvidos. É claro que no caso do Victor não resolveu de vez, já que com certeza o Eric vai ter que prestar contas ao Filipe por ter matado o vampiro, mas no caso da Sandra eu acho que esse realmente será o fim dessa história que já vem rolando desde o terceiro livro!

Aliás toda a história dos Pelts sempre me irritou absurdamente!  É tão randômico!  É a mulher rejeitada elevada a décima potência!  E a Debbie pelo menos tinha um motivo plausível, a Sandra é simplesmente insana, mas não insana de um jeito bom, insana do tipo que tem que ficar trancada em um hospital psiquiátrico para sempre!  Eu gostei do Sam e da Jannlynn se envolverem nessa parte, já que durante o livro inteiro nós lemos como a were é forte, implacável, etc eu queria mais ação envolvendo-a do que apenas aquela cena no Merlotte’s.

Em questão de ataques estratégicos, ninguém ganha do Victor. Além dele abrir bares para acabar com o movimento não só do Fangtasia mas do Merlotte’s (porque é onde a Sookie trabalha e assim a afeta, e por conseqüência, o Eric) ele chama o casal para o sua balada, bate na Pam (BAD Victor) e ainda por cima tem a Miriam lá, a pessoa que ele está negando que a Pam transforme em vampira por pura e simples mesquinharia. De fato já estava na hora deles se livrarem do Victor!

Foi bem engenhoso o modo como eles acharam para finalmente se livrar dele.  Fiquei com dó do Bubba de ter sido usado para isso, porque ele é mega fofo e sempre faz tudo que a Sookie e o Bill querem, mas quem se ferra é ele.  O bom é que ele não se machucou, mas fora isso eu adorei a cena da armadilha!  Foi de fato o melhor jeito de acabar com essa palhaçada do Victor, ainda mais com o sniper lá fora evitando que as pessoas saissem do Fangtasia.

Quase morri junto com a Miriam com a história dela e da Pam!  Foi muito triste e eu entendo totalmente a necessidade dela de destruir o responsável por tudo isso.  Ainda mais que a Pam é sempre tão seca e “fria” no exterior.  Ela é tão querida e foi como um presente para os fãs da vamdiva esse arco em que ela foi a principal.  E imaginem como vai ser divertido ver a Pam acabando com tudo por causa de todo esse rolo?

WHAT THE HELL é essa Cluviel Dor agora?!  Mais uma segredo das fadinhas?!  Quero saber tudo logo!  Eu acho que o final da série vai ser o final dos segredos do passado da família da Sookie, porque não dá mais né?

A Amelia já me irritava antes, depois do que ela fez com a Sookie e o Eric e o bond então ela praticamente morreu para essa leitora.  Não por sido algo que prejudicou o viking, mas sim pela invasão da vida da Sookie e por ter deliberadamente ajudado a destruir um relacionamento que não é o dela e que não tem nada a ver com ela!  É uma petulância absurda e para piorar ela vai e joga o Alcide na equação!  A Sookie lidou com tudo isso com muita calma na minha opinião.  Tudo bem que a Sookie queria se livrar do bond e eu entendo os motivos dela.  Porém ela foi muito precipitada e se eu fosse Eric eu teria trucidado a Amelia e a Sookie também!  Pelo lado positivo, pode ser que se a Sookie for realmente ficar com o Eric eles podem ter um casamento de verdade e um bond em que ambos sabem das conseqüências.

A aparição do Alcide foi totalmente jogada.  Ok, eu entendo a necessidade, mas foi meio sem sentido.  Foi mega divertido a Sookie falando que não gosta do que ele se tornou!  Eu sinto que ela realmente precisava daquilo, mas ao mesmo tempo eu não vejo a série acabando sem eles ficarem juntos pelo menos uma vez.  Eu aposto que se o Eric realmente tiver que ir para Oklahoma o Alcide é uma boa opção para re-bound!

E o Appius voltando do túmulo para assombrar a Sookie com essa história do casamento arranjado do Eric?  Ah!  Fiquei tão puta!  Aliás, durante toda a história os dois só vão se afastando cada vez mais e a Sookie para variar com as frescuras dela que me irritam.  “Eu não sei se amo ele mesmo” “Ele é um assassino, mas eu também e agora?” “O quarto dele me deixa claustrofóbica” GAH!!!  Cala a boca e seja feliz com o viking logo de uma vez!  Ela fica inventando desculpas para o namoro não funcionar e ela ter uma desculpa para a indecisão dela.  Eu sempre achei a Sookie uma mulher forte e independente, mas ultimamente, principalmente em relação ao Eric, ela se mostra simplesmente indecisa.

E agora ela se ferrou!  Porque tem uma oportunidade excelente para o Eric e ele está dando a maior prova de amor que ele poderia: O Eric não quer casar com uma Rainha, sair debaixo das garras do Felipe e do Victor, quando ele descobriu o Victor ainda estava vivo, e ganhar mais poder e mais dinheiro para poder ficar com a Sookie!

É lógico que o final deixou dúvidas gigantes!  Mas eu senti que acabar o livro com a Sookie limpando a bagunça da morte da Sandra foi perfeito.  Realmente condiz com o ritmo do livro.

Como sempre é uma leitura obrigatória para os fãs do série e eu acredito que muitos vão gostar como eu gostei.  É um livro que retorna as raízes da série e me lembrou porque eu me apaixonei pela série no começo.  É claro que esse livro vai ser sempre especial para mim já que foi a causa pela qual eu conheci a Charlaine e ele está autografado, então pode ser que minha opinião seja influenciada por isso, mas ao mesmo tempo eu adorei ler (e reler) o livro!

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: